Sociedade

PSD quer que RTP explique deslocação da "Praça da Alegria" para Lisboa

PSD quer que RTP explique deslocação da "Praça da Alegria" para Lisboa

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, instou, esta terça-feira, a administração da RTP a "dar uma explicação" sobre a decisão de deslocar para Lisboa a produção do programa "Praça da Alegria", atualmente realizado no centro de produção do Norte.

"Gostava de instar a administração da RTP a dar a explicação em relação a esta decisão em concreto e relativamente ao enquadramento do centro de produção do Porto no desenvolvimento da atividade da RTP no futuro", afirmou em declarações à Lusa o líder parlamentar do PSD.

Luís Montenegro, deputado eleito por Espinho, considerou que o programa "tem uma importância grande na região Norte".

"É um espaço em que as instituições autárquicas, sociais, culturais, desportivas, económicas fazem a apresentação do seu trabalho, dos seus projetos, e que é objetivamente algo que mobiliza o país. É dirigido a uma audiência nacional, mas que é também muito uma alavanca do desenvolvimento económico e social de toda a região Norte", afirmou.

Luís Montenegro manifestou ainda o desejo de que a "decisão seja reponderada, no sentido da manutenção da produção deste programa no centro de produção do Norte".

"Mas é preciso perceber o que isto significa em termos de funcionamento e de trabalho futuro do centro de produção do Norte. É uma resposta que tem que ser dada nos próximos dias", afirmou.

O programa Praça da Alegria é atualmente o único grande programa produzido e realizado no centro de produção do norte, pelo que a sua vinda para Lisboa, abriria eventualmente o caminho para a confirmação de um cenário deixado há cerca de dois meses por Nuno Morais Sarmento, ex-ministro social-democrata com a tutela da comunicação social.

Numa entrevista concedida à RTP no passado dia 31 de outubro, Morais Sarmento defendeu a venda do centro de produção do norte, argumentando que as instalações do Monte da Virgem poderiam albergar um futuro quinto canal generalista, previsto, de resto, no modelo da televisão Digital Terrestre.

Luís Montenegro enjeitou, no entanto, elaborar sobre esta possibilidade. "Não vejo esta questão à luz de um cenário futuro. Identifico esta questão à luz da RTP que temos hoje e, a meu ver, não há justificação para uma medida desta natureza", disse à Lusa.

"Relativamente aos cenários futuros, teremos que esperar que haja uma decisão e nessa altura não deixaremos de ter a nossa opinião", acrescentou.

A administração da RTP confirmou no passado dia 14 que vai passar a produzir em Lisboa o programa televisivo matinal "Praça da Alegria" e adiantou que, "em breve", será anunciado "um grande projeto de produção" a concretizar no Porto.

A subcomissão de trabalhadores da RTP Porto tinha questionado no mesmo dia a administração da estação sobre a eventual transferência da produção do programa "Praça da Alegria" para Lisboa.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial da televisão pública afirmou também que o centro de produção do Porto "manterá a importância da sua vertente informativa" e sublinhou que o projeto Academia vai manter-se nos estúdios do Monte da Virgem "e vai ser reforçado".

A RTP enquadrou as alterações introduzidas "no âmbito do ajustamento dos vários centros de produção", com o objetivo de conseguir "uma melhor rentabilização de meios de produção e de gestão de equipas, tanto no Porto como em Lisboa".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG