Sociedade

Sindicato quer inquérito "rigoroso" às agressões da PSP a fotojornalistas

Sindicato quer inquérito "rigoroso" às agressões da PSP a fotojornalistas

O Sindicato de Jornalistas vai pedir à Inspeção-Geral da Administração Interna que faça um inquérito "rigoroso" sobre as agressões da PSP a dois fotojornalistas, na quinta-feira, e quer explicações públicas do ministro da Administração Interna.

Em comunicado, o Sindicato de Jornalistas (SJ) considera "absolutamente condenável a atuação da PSP" e "repudia as agressões policiais (...) sobre repórteres de imagem das agências Lusa e France Presse".

O mesmo comunicado sublinha que a direção do SJ "vai pedir um rigoroso inquérito à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) e exige explicações públicas do ministro da Administração Interna".

A PSP agrediu, na quinta-feira, dois fotojornalistas que estavam a acompanhar uma manifestação no âmbito da greve geral convocada pela CGTP.

José Goulão e Patrícia Melo Moreira, repórteres fotográficos ao serviço, respetivamente, das agências noticiosas Lusa e AFP, cobriam a carga policial sobre manifestantes no Chiado, em Lisboa e registavam os incidentes gerados entre manifestantes e elementos das forças da PSP.

"O comportamento da PSP é absolutamente condenável e não pode ser deixado impune, face à brutalidade ilegítima e sem qualquer justificação", refere, exigindo que sejam apuradas "todas as responsabilidades até às últimas consequências - disciplinares e penais - não só pelas agressões, mas também pela violação clamorosa da liberdade de informação".

Por isso, conclui o sindicato, a direção do SJ vai apresentar uma queixa formal ao inspetor-geral da Administração Interna e exige "explicações públicas por parte do ministro da Administração Interna, na medida em que o comportamento da PSP é intolerável num Estado de Direito Democrático".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG