Facebook

O Facebook deixa as pessoas mais tristes

O Facebook deixa as pessoas mais tristes

É a mais famosa rede social da atualidade. Tem mais de um bilião de pessoas registadas. No Facebook, os utilizadores conectam-se, partilham interesses pessoais, fotos, vídeos, notícias, estados de espírito. Um estudo indica que são, no entanto, os mais infelizes.

De acordo com a revista cientifica "Plos One", uma pesquisa recente nos EUA afirma que o Facebook é incapaz de fazer os seus usuários felizes.Este estudo foi realizado na Universidade de Michigan e consistiu em analisar a utilização do Facebook em relação aos seus utilizadores. O estudo comprova que ao uso da rede social diminui o humor.

O investigador e psicólogo deste estudo, Ethan Kross, afirma que "o Facebook oferece uma fonte interminável para completar as necessidades humanas básica das pessoas. Os usuários conectam-se, partilham interesses que têm em comum".

"Porém em vez de melhorar o bem-estar, a nossa pesquisa comprova exatamente o oposto", acrescenta.

Para esta análise a equipa de Kross recrutou cerca de 82 jovens que consultam o Facebook no telemóvel. Os investigadores consultaram por várias vezes ao dia, a partir do telemóvel pessoal de cada participante as suas atividades na rede social, durante cinco dias e, no exato momento que consultavam o Facebook, a equipa perguntava-lhes como se sentiam.

As questões elaboradas por Kross, estavam relacionadas com estados de espírito de cada um, se estavam preocupados, se se sentiam bem, se tinham aborrecido com alguém e por quanto tempo utilizaram o Facebook.

A avaliação dos dados revelou que os usuários utilizam o Facebook quando "se sentem mais em baixo".

PUB

Os investigadores não têm algo em concreto para estas razões porém, o estudo comprova que os utilizadores do Facebook utilizam com maior frequência a rede social quando se "sentem deprimidos".

Acrescentam ainda que "outros investigadores têm especulado que o uso de redes sociais pode interferir de forma negativa para a atividade física para as relações pessoais".

Os cientistas firmam que esta pesquisa é a mais completa sobre a influência das redes sociais na psicologia e destacam que "a análise indica que apenas o uso do Facebook faz com que exista uma queda em dois componentes fundamentais do bem-estar, a forma de como as pessoas se sentem a cada momento e de como está satisfeito com a vida que leva".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG