Sociedade

O outono está aí mas o verão quente tarda em ir embora

O outono está aí mas o verão quente tarda em ir embora

O outono está aí, mas os termómetros preparam-se para subir aos 30 graus em quase todo o país. É o prolongamento de um verão que fica na história como um dos mais quentes e secos dos últimos 80 anos.

Temperaturas acima do normal, quatro ondas de calor, precipitação abaixo dos valores médios. O verão de 2013 foi o décimo mais quente e o sexto mais seco desde 1931, revela o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O boletim climatológico sazonal do IPMA indica que o trimestre junho-agosto registou uma temperatura média de 21,96 graus (mais 0,71 do que o normal). As temperaturas máximas andaram acima da média (mais 1,37 graus), bem como as mínimas (mais 0,04).

Com a aproximação do outono (começa no domingo) era expectável uma descida das temperaturas, mas tal não deverá acontecer já nos próximos dias. As previsões do IPMA apontam para um fim de semana de autêntico verão. Lisboa e Porto poderão chegar aos 32 graus.

"As temperaturas estão acima do normal e vamos continuar com dias quentes. Sábado [amanhã] será o mais quente", afirmou, ao JN, Nuno Moreira. Normalmente, acrescenta o meteorologista do IPMA, no mês de setembro é normal haver alguma precipitação, mas tal não se tem verificado.

A pouca chuva também fez história no verão de 2013. O valor médio da quantidade de precipitação de junho a agosto foi de 23,3 milímetros, menos 34,4 mm do que os valores normais, o que levou o IPMA a classificar a estação como seca a extremamente seca. Nas últimas oito décadas, só em 7% dos verões é que choveu menos do que neste ano.

No Porto, por exemplo, de 1 de junho a 31 de agosto registaram-se apenas cinco dias de chuva efetiva (mais de 1 milímetro) - quatro dias em junho, um em julho e nenhum em agosto -, quando a média são 12 dias, revelou, ao JN, Fátima Espírito Santo.

A quantidade de precipitação na mesma localidade (estação meteorológica de Pedras Rubras) também ficou abaixo dos valores normais. "No Porto, o valor médio de precipitação no verão são 80 milímetros e este ano registaram-se apenas 38 mm", realçou a especialista, considerando que aquele valor foi "muito inferior ao esperado" e está entre os mais baixos dos últimos anos.

Apesar das altas temperaturas e da pouca chuva que caracterizaram este verão, o país assistiu a fenómenos como queda de neve na serra da Estrela, em junho, e a inundações no Alentejo e Algarve em agosto.