Sociedade

OMS quer mais países com imagens chocantes nos maços de cigarros

OMS quer mais países com imagens chocantes nos maços de cigarros

A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou, esta quinta-feira, um apelo para que todos os países adoptem as recomendações para reduzir o consumo de tabaco, incluindo a exibição de imagens chocantes nos maços de cigarros, medida não aplicada em Portugal.

Apesar de reconhecer que cada vez mais pessoas estão alertadas para os malefícios do consumo de tabaco, a OMS realça que a maioria dos países ainda não faz nada ou apenas tomou medidas consideradas insuficientes para reduzir o número de fumadores

A ctualmente, mais de mil milhões de pessoas de 19 países são abrangidas por legislação que obriga à publicação de imagens chocantes nas embalagens de cigarros com o objectivo de alertar os consumidores para as consequências de fumar.

Em Portugal, os responsáveis pelo combate ao tabagismo concluíram que a inclusão de imagens chocantes nos maços de tabaco pouco efeito teria para deixar de fumar.

A ideia foi abandonada por não ter recolhido o consenso necessário e por se considerar que só teria um efeito dissuasor para quem considera começar a fumar ou para incentivar pessoas que estão a deixar de fumar a procurar ajuda.

México, Peru e Estados Unidos foram os últimos países a aderir à publicação de imagens nos maços de tabaco.

As outras cinco medidas recomendadas pela OMS são a protecção dos não-fumadores, a ajuda para deixar de fumar, o reforço das medidas anti-publicidade ao tabaco e o aumento das taxas sobre o preço dos cigarros.

As estimativas da OMS indicam que este ano o tabaco deverá ser a causa da morte de seis milhões de pessoas. Mais de cinco milhões serão fumadores ou ex-consumidores e 600 mil serão não fumadores expostos ao fumo dos cigarros.

As projecções apontam para uma média de oito milhões de mortes por ano até 2030 devido ao fumo do tabaco.