Bruxelas

Passaportes roubados da embaixada portuguesa em Bruxelas

Passaportes roubados da embaixada portuguesa em Bruxelas

Um número indeterminado de passaportes e vinhetas de visto foram roubados durante o fim-de-semana das instalações da embaixada de Portugal em Bruxelas.

Segundo fonte diplomática, dois pisos da embaixada, localizada na avenida Toison d' Or, foram assaltados durante o fim-de-semana, tendo sido roubada documentação diversa, designadamente passaportes temporários e vistos, e uma quantia "irrisória" em dinheiro.

A fonte escusou-se a avançar o número de documentos que foram levados, adiantando que a polícia belga está já a investigar o roubo.

Funcionários da embaixada contactados pela Lusa admitem que houvesse nos cofres da embaixada e da secção consular cerca de 60 passaportes provisórios.

Um dos funcionários disse à Lusa que os assaltantes entraram pela janela das traseiras do edifício e arrombaram "com recurso a maçarico e rebarbadora" os cofres da embaixada e da secção consular onde se encontravam passaportes, vinhetas de visto e bilhetes de identidade.

A emissão de passaportes em Portugal está centralizada na Imprensa Nacional Casa da Moeda, mas as embaixadas nos diversos países têm documentos para a emissão de passaportes temporários em casos de urgência e que têm apenas a validade da viagem a que se destinam.

Segundo os funcionários a última remessa destes documentos de Lisboa tinha sido de 100 impressos de passaporte, mas nos cofres deveriam estar apenas cerca de 60.

A embaixada, que está situada num edifício de escritórios, tem um alarme que não funcionou, tendo os funcionários dado pelo assalto apenas na segunda-feira, quando começou o expediente.

A polícia judiciária e a polícia científica belga estiveram durante o dia de segunda-feira a recolher indícios que possam levar aos autores do assalto.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que toda a documentação roubada foi "invalidada" uma vez que existe um registo de tudo, acrescentando que não há qualquer possibilidade de poder ser usada.

A secção consular, que se encontra fechada desde segunda-feira, deverá reabrir, segundo o MNE, na sexta ou segunda-feira próximas.