Serviço Nacional de Saúde

Portugal “sobe” no ranking da saúde

Portugal “sobe” no ranking da saúde

Organização sueca que atribuiu o 25º lugar ao sistema de saúde nacional corrigiu hoje, terça-feira, a avaliação. Portugal está em 21º lugar.

De acordo com a Health Consumer Powerhouse (HCP), Portugal passa de 25º para 21º no índice europeu que avalia alguns parâmetros da saúde em 33 países.

Fonte do Ministério da Saúde explicou à Agência Lusa que foram revistos cinco em 38 itens avaliados pela organização, estando ainda alguns a ser analisados, dado terem sido "detectados erros materiais, da responsabilidade da organização, que penalizavam Portugal".

Entre os parâmetros que a organização aceitou agora para alterar o posicionamento de Portugal estão os relativos à participação dos doentes no processo decisório, ao direito a uma segunda opinião, à utilização de meios electrónicos na informação médica, à prescrição electrónica e à percentagem de diabéticos.

A fonte do Ministério da Saúde explicou que estes parâmetros foram subavaliados.

Mas, mesmo corrigidos os "erros", a mesma fonte "desvaloriza" a importância do relatório, realçando: "Não se trata de uma avaliação objectiva dos vários sistemas de saúde europeus, estando condicionada por uma perspectiva desfavorável aos sistemas baseados em serviços nacionais de saúde de acesso universal."

Na nota que corrige a avaliação, a HCP refere que Portugal alcançou 632 pontos em 1000 possíveis, ultrapassando agora Espanha, Croácia, Grécia e Macedónia.

A organização sueca realça que Portugal apresenta debilidades no acesso e tempo de espera aos cuidados de saúde e, em contrapartida, sublinha o sucesso na utilização das ferramentas electrónicas.

Portugal está também bem classificado no índice da mortalidade infantil e no volume de transplantes renais.

O índice da HCP avalia dados sobre seis áreas: direitos e informação dos utentes, e-saúde, tempos de espera para tratamentos, resultado dos tratamentos, variedade e alcance dos serviços prestados e acesso à medicação.