Genéricos

Portugueses compraram mais genéricos mas pagaram menos 9,2%

Portugueses compraram mais genéricos mas pagaram menos 9,2%

Os portugueses compraram mais medicamentos genéricos, nos primeiros oito meses deste ano, mas pagaram menos dinheiro, segundo dados do Observatório do Medicamento e Produtos de Saúde.

Entre Janeiro e Agosto, venderam-se 33,6 milhões embalagens de medicamentos genéricos, mais 5,5 milhões do que os 28 milhões de embalagens vendidas no mesmo período do ano passado, o que representa uma taxa de crescimento de 19,9%.

Por número de embalagens vendidas, a quota de mercado de genéricos situava-se, nos primeiros oito meses do ano, nos 21,43% (17,67% em 2010).

Em relação ao montante pago por estes genéricos, registou-se, em 2010, uma descida de 406 milhões de euros, para 369 milhões euros em 2011.

Estes dados indicam que o dinheiro que os portugueses deixaram na farmácia para comprar genéricos diminuiu 9,2%.

Em termos de número de embalagens, a sinvastatina (que combate a gordura no sangue) é a substância activa mais vendida (1,9 milhões de caixas), seguida da alprazolan, para os distúrbios da ansiedade (1,498 milhões) e o omeprazol, contra a acidez no estômago (1,429 milhões).

A substância activa que mais dinheiro custou aos portugueses, entre Janeiro e Agosto deste ano, foi o omeprazol, seguido da sinvastatina e do clopidogrel (prevenção da trombose).