O Jogo ao Vivo

Sociedade

Administrador de hospital quis saber se era mais barato amputar perna ou pôr prótese

Administrador de hospital quis saber se era mais barato amputar perna ou pôr prótese

Um elemento da administração do hospital Amadora-Sintra questionou um médico sobre qual o procedimento mais barato entre a amputação e colocação de uma prótese para salvar a perna a um doente, segundo uma denúncia feita à Ordem dos Médicos.

Num encontro com jornalistas esta quinta-feira em Lisboa, o bastonário José Manuel Silva adiantou que a carta que recebeu com esta denúncia já foi enviada para a Inspeção-geral das Atividades em Saúde e para a Provedoria de Justiça.

O médico do hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) entregou uma participação escrita à Ordem na qual relatava que um membro da administração da unidade hospitalar lhe tinha perguntado qual o procedimento que sairia mais barato: amputar uma perna ou colocar uma prótese num determinado doente.

Esta situação foi descrita aos jornalistas no seguimento das preocupações demonstradas pela Ordem em relação ao Amadora-Sintra, nomeadamente sobre o serviço de radiologia.

O bastonário revelou que o hospital ficou sem radiologia de intervenção porque o único médico especialista foi dispensado e acabou por emigrar. Além disso, a Ordem refere ainda que não há radiologista na urgência à noite e que os equipamentos da unidade estão obsoletos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG