Sociedade

Angelina Jolie removeu ovários para evitar cancro

Angelina Jolie removeu ovários para evitar cancro

Angelina Jolie revelou, esta terça-feira, que removeu os ovários para evitar o risco de cancro, a doença que matou a sua mãe aos 56 anos.

Num artigo publicado no New York Times, a atriz norte-americana, de 39 anos, escreveu que decidiu revelar publicamente a intervenção cirúrgica para ajudar "outras mulheres em risco a saber mais sobre as suas opções".

Há dois anos, Angelina Jolie decidiu fazer, a conselho médico, uma dupla mastectomia preventiva, no sentido de prevenir o desenvolvimento de cancro da mama, doença que, geneticamente, teria 87% de probabilidade de desenvolver.

Hoje revelou que lhe foram removidas as trompas de falópio e os ovários. "Sinto-me feminina e segura nas escolhas que estou a fazer para mim e para a minha família. Sei que os meus filhos nunca terão de dizer "A minha mãe morreu de cancro dos ovários". Angelina Jolie é casada com o ator norte-americano Brad Pitt e o casal tem a seu cargo seis crianças.

Jolie revelou que os médicos a informaram de que tinha 50% de risco de vir a sofrer de cancro nos ovários devido a uma mutação genética que herdou. "Planeei isto durante algum tempo. É uma cirurgia menos complexa que a mastectomia, mas os efeitos são mais duros. Coloca a mulher numa menopausa forçada", revelou. Foi uma chamada do seu médico, há duas semanas, que acabou por precipitar a decisão. Numa análise regular à proteína CA-125, foram revelados possíveis de cancro numa fase inicial.

Brad Pitt, que estava na altura em França, veio imediatamente para casa para acompanhar a sua mulher.

No artigo, a atriz deixou uma palavra de apoio a todas as mulheres na mesma situação. "Lamento profundamente pelas mulheres para quem este momento chega muito cedo na vida, antes de poderem ter os seus filhos. A situação delas é muito mais difícil do que a minha.", escreve a atriz. "Não é fácil tomar estas decisões. Mas é possível procurar conselho, conhecer as opções e fazer as escolhas que são certas para cada uma", aconselha.

PUB

A reveleção de 2013, em que Jolie confirmou ter removido o peito, foi largamente elogiada pela comunidade, por médicos e sobreviventes ao cancro, pela sua coragem. Muitos, lembrou hoje a Reuters, disseram que Angelina Jolie se tornou uma inspiração para muitas mulheres.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG