Sociedade

Antibióticos podem deixar de ser eficazes dentro de cinco anos

Antibióticos podem deixar de ser eficazes dentro de cinco anos

A eficácia dos antibióticos para prevenir infeções pode perder-se dentro de cinco anos devido ao seu uso excessivo e inadequado, alertaram peritos médicos.

A Aliança Mundial Contra a Resistência aos Antibióticos (WAAR, na sigla em inglês), que realizou, esta quinta-feira, um simpósio internacional, detetou um "aumento drástico" da resistência aos medicamentos por "uso excessivo" de antibióticos e automedicação.

"Se a tendência continuar assim, estima-se que dentro de aproximadamente cinco anos faltarão tipos de medicamentos eficazes no mercado para tratamento de infeções", afirma a Sociedade Espanhola de Medicina Intensiva, membro da WAAR, em comunicado emitido no final da reunião em Sevilha, Espanha.

Os "fracassos" de tratamentos com antibióticos já são reais e há um "número crescente" de infeções urinárias ou peritonite.

No caso dos transplantes, os tempos de intervenção devem ser mais curtos para evitar infeções que possam degenerar na morte do paciente, refere.

"Os procedimentos cirúrgicos futuros com um nível alto de complexidade estão a ser afetados por esta alarmante situação", adianta.

Para a Associação, a solução passa pela prescrição de antibióticos, para pessoas e animais, que exige medidas "mais contundentes".

PUB

"Os antibióticos eficazes são uma espécie em perigo de extinção e o seu uso deve ser submetido aos princípios ecológicos e integrados num conceito de desenvolvimento sustentável global", adianta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG