Sociedade

Argentina morre depois de injetar vaselina nos seios

Argentina morre depois de injetar vaselina nos seios

As autoridades de saúde argentinas estão a investigar as circunstâncias da morte de uma mulher, devido a um edema pulmonar após ter injetado vaselina nos seios com fins estéticos.

Sonia Pérez Llanzón, uma amante do desporto e lutadora de boxe, com 39 anos, morreu num hospital da localidade de Santa Rosa, na província de La Pampa, centro da Argentina, onde esteve internada durante um mês devido a uma infeção provocada por um implante de vaselina.

As autoridades de saúde estão a investigar se a vítima aplicou a vaselina a si própria ou se foi assistida por alguém.

"Se houver um terceiro envolvido nisto, há muitas mulheres em perigo", considerou o responsável da clínica cirúrgica de Santa Rosa, Julio Plá Cárdenas, ao jornal "Diario de La Pampa".

O especialista explicou que a mulher deu entrada com lesões nos seios, hematomas e uma inflamação na zona do tórax, que causou dificuldades respiratórias e obrigou à aplicação de uma máquina de ventilação assistida.

Segundo o médico, a mulher inicialmente não ofereceu explicações, mas acabou por confessar ter aplicado vaselina, sem no entanto explicar as circunstâncias que envolveram a aplicação do produto.

"Em toda a minha vida nunca vi um caso assim", acrescentou o médico, que afirmou que "o organismo tem anticorpos para remover bactérias e vírus, mas não tem mecanismos para responder a este tipo de elemento".