Sociedade

Cartões bancários e telemóveis lideram lista dos objetos mais sujos

Cartões bancários e telemóveis lideram lista dos objetos mais sujos

Cartões de crédito, telemóveis, escovas de dentes e ventoinhas são apenas alguns dos objetos mais sujos do nosso quotidiano. Têm verdadeiras concentrações de microorganismos que o olho humano não consegue ver. Conheça a lista dos objetos preferidos das bactérias.

Na lista feita pelo jornal "Huffington Post", entre os objetos utilizados diariamente que tem mais bactérias é o cartão de crédito que aparece em primeiro lugar.

Sempre que não está na carteira, entra e sai de caixas de multibanco e está em contacto com as mãos de diversas pessoas quando é utilizado em superfícies comerciais. Como os comerciantes também já estiveram em contacto com muitas outras coisas, os cartões de crédito acabam por ser um repositório de bactérias.

Com o telemóvel acontece a mesma coisa. Ainda que não seja partilhado com tanta frequência quanto um cartão de crédito, o jornal "Daily Mail" assegura que um telemóvel tem 18 vezes mais bactérias do que a tampa de uma sanita.

As superfícies dos eletrodomésticos e os tapetes também são outro viveiro de germes. No caso dos eletrodomésticos, estes podem ser um paraíso para as bactérias que entram para dentro de aparelhos e passam a estar em contacto com os alimentos.

No entanto, o objecto doméstico desta lista que mais pode surpreender é a escova de dentes. Utilizada para lavar, pode ela própria conter inúmeros germes. Isto acontece, porque quando se lavam os dentes, muitas vezes, não se presta atenção à água que escorre pela escova. Se depois não for devidamente lavada, a escova passa a albergar os organismos indesejáveis.

No quarto de banho, o objeto que segura o rolo de papel higiénico também é apontado como um dos menos limpos. No resto da casa, as fechaduras das portas e das janelas, bem como os interruptores da luz são outros dos objetos mais sujos.

Ainda assim, o jornal "Huffington Post" enumera mais três para acabar a lista: as pás das ventoinhas que estão penduradas no teto; a estrutura de molas do colchão e o recipiente do sal. As pás das ventoinhas são, de resto, o veículo perfeito para a propagação dos germes pela casa.

Com o passar do tempo, estas ganham uma camada de pó que, quando se liga a ventoinha, voa em todas as direções da casa. Já a estrutura de molas do colchão até pode conter "bichinhos" maiores do que os germes, uma vez que muitas pessoas se esquecem de virar o colchão com a mudança de estação.

No caso do recipiente do sal, um estudo da Universidade da Virgínia, nos EUA, conclui que este objeto tem uma grande concentração do vírus responsável pela gripe. Normalmente este recipente é reabastecido de sal, mas não costuma ser alvo de limpeza pelo que é uma arma contra a saúde.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG