Sociedade

Cientistas identificam marca neurológica da dor

Cientistas identificam marca neurológica da dor

A marca neurológica da dor foi observada por cientistas ao analisarem imagens do cérebro com um "scanner", o que pode abrir caminho ao desenvolvimento de testes clínicos para medir e prever a dor.

"Não existe atualmente qualquer técnica clínica que permita medir a dor a não ser perguntar a uma pessoa o que sente", assinalou Tor Wager, professor de psicologia e de neurologia na Universidade do Colorado (Estados Unidos) e principal autor do estudo divulgado, esta quinta-feira, no "New England Journal of Medicine".

Com a ajuda de um computador, os cientistas analisaram múltiplas imagens de 114 cérebros com um "scanner" quando os sujeitos estavam expostos a diferentes intensidades de calor sobre a pele.

"Descobrimos reações semelhantes em múltiplas zonas do cérebro que correspondem à intensidade da dor sentida pelas diferentes pessoas como reação ao calor", explicou Tor Wager.

Contrariamente ao esperado, as marcas cerebrais da dor não eram específicas para cada participante do estudo, mas sim semelhantes entre eles.

Assim, os investigadores puderam prever, com uma exatidão entre 90% a 100%, o nível de dor que uma pessoa sentia quando estava sob diferentes intensidades de calor sobre a pele.

Os cientistas também observaram que a marca neurológica mostrava uma diminuição da dor nas pessoas submetidas aos testes que tinham tomado analgésicos.

A um subgrupo de participantes que tinham tido recentemente um desgosto amoroso foram mostradas imagens do parceiro de quem se tinham separado.

Apesar de estudos anteriores sugerirem que a dor psicológica é semelhante à dor física, os sujeitos abandonados não registavam a marca neurológica da dor.

Na investigação participaram cientistas das Universidades de Nova Iorque, Johns Hopkins e Michigan.