Sociedade

Doentes oncológicos esperam meses por isenção nas taxas

Doentes oncológicos esperam meses por isenção nas taxas

As conclusões do estudo da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) sobre as taxas moderadoras, nomeadamente sobre cobranças indevidas a utentes que deviam estar isentos, afetando sobretudo doentes oncológicos, não surpreendem. Só vêm confirmar os problemas que há muito vinham sendo denunciados e que ainda persistem, afirmam utentes e especialistas em saúde.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro garante que continua a receber queixas de doentes a quem são cobradas taxas em determinados hospitais. "Há uns que cobram e outros não", assegurou, ao JN, o presidente do núcleo regional do Norte da Liga Portuguesa contra o Cancro.

Vítor Veloso afirma que os doentes não recebem a informação devida sobre a dispensa do pagamento das taxas e "chegam a esperar seis meses pelo atestado multiusos, que devia ser dado automaticamente a doentes com cancro". Nesse período, os doentes são obrigados a pagar as taxas e "nunca são reembolsados", apesar de terem esse direito. "Há uma teia de burocracia tão grande que nunca recebem o que gastaram", denuncia Vítor Veloso.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias