Sociedade

Falta de médicos deixa urgências em risco de colapso

Falta de médicos deixa urgências em risco de colapso

Caos. É este o cenário vivido no Hospital de S. Sebastião nos últimos dias: cirurgias adiadas, enfermarias sobrelotadas, doentes à espera 22 horas para serem atendidos. A Ordem dos Médicos já abriu inquérito.

A diretora do serviço de urgência alertou, diversas vezes, o conselho de administração (CA) para a grave e continuada falta de médicos que estava a pôr em causa a qualidade da assistência. Na sexta-feira - dois dias antes da morte de um doente que esperou cinco horas para ser atendido (ler ao lado) -, a denúncia chegou à Ordem dos Médicos (OM).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG