Sociedade

Garcia de Orta deu conhecimento ao MP de sanção de médicos que amputaram perna

Garcia de Orta deu conhecimento ao MP de sanção de médicos que amputaram perna

O Hospital Garcia de Orta deu conhecimento ao Ministério Público e à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde das sanções aplicadas aos dois médicos envolvidos no caso de uma amputação de perna, após uma cirurgia para tratar varizes.

O hospital anunciou na quinta-feira que suspendeu uma médica de funções e aplicou a outro médico uma sanção pecuniária, na sequência dos acontecimentos que conduziram à amputação de uma doente.

As sanções decorrem do processo disciplinar instaurado pelo hospital aos dois médicos envolvidos no caso, sobre o qual foi dado conhecimento ao Ministério Público e à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde, entendidas pela administração do Garcia de Orta como as "autoridades competentes" para acompanhar o processo.

O hospital escusou-se a adiantar pormenores sobre as sanções decididas, por decorrer agora o prazo legal para os clínicos apresentarem recurso, que é de 90 dias.

Este prazo para apresentação de recurso implica também que as penas não possam ser aplicadas imediatamente, havendo um efeito suspensivo.

De acordo com a assessoria de imprensa do Garcia de Orta, para o hospital o caso está "encerrado em termos de apuramento de responsabilidade".

A mesma fonte adiantou também que, desde o início, o hospital tem mantido conversações com a doente afetada pelo caso e com o seu advogado, e que o Garcia de Orta vai "procurar ressarcir a doente pelos danos causados, na medida do possível".

A doente foi operada às varizes, mas na cirurgia foi cortada uma artéria em vez de uma veia, o que após várias intervenções obrigou à amputação de uma perna, um pouco abaixo do joelho.