Sociedade

Bactérias lutam para sobreviver no intestino

Bactérias lutam para sobreviver no intestino

Um grupo de cientistas portugueses do Instituto Gulbenkian de Ciência fez uma investigação pioneira: o estudo da evolução de bactérias intestinais em ratos. A pesquisa irá contribuir para a criação de estratégias de combate a doenças do intestino.

Depois de anos de estudo da evolução de bactérias "in vitro", em placas de Petri, um ambiente artificial, investigadores portugueses especializados em evolução, microbiologia e imunologia estudaram o desenvolvimento da bactéria Escherichia coli (E. coli) no seu ambiente natural - o intestino.

Segundo a investigação liderada por Isabel Gordo, estas bactérias acabam por competir entre si para sobreviverem no intestino, assumindo uma série de mutações ao longo do seu tempo de vida.

A identificação das várias estirpes irá, no futuro, permitir a elaboração de novas formas de combate a doenças. "Esta abordagem é necessária para trilhar caminhos científicos, que eventualmente irão resultar numa aplicação para a saúde e doenças", afirma Jocelyn Demengeut, uma das cientistas envolvidas no projeto.