Sociedade

Bastonário dos médicos pede para evitar racionar medicamentos

Bastonário dos médicos pede para evitar racionar medicamentos

O bastonário da Ordem dos Médicos apelou, esta quinta-feira, aos profissionais para que evitem o racionamento nos cuidados de saúde, nomeadamente no fornecimento de medicamentos, lembrando que as queixas dos cidadãos podem resultar em processos crime.

José Manuel Silva pediu aos médicos portugueses para que optem pela racionalização e não pelo racionamento, prejudicial para o acesso aos cuidados de saúde dos cidadãos desfavorecidos e que pode ser considerado crime.

"Há queixas que, obviamente, podem resultar em processos crime e, quando nós temos disparidades regionais no tratamento dos doentes, todos nós percebemos que o atual sistema está errado e que há alguém que está a tomar decisões erradas", afirmou.

O bastonário da Ordem dos Médicos falava aos jornalistas à margem da sessão de abertura do 19.º Congresso Nacional de Medicina Interna, que decorre entre hoje e sábado num hotel em Vilamoura.

Aquele responsável apelou aos cidadãos para que denunciem os casos em que percebam que lhes está a ser "cortado um direito", lembrando que há mecanismos de atuação.

José Manuel Silva admitiu que já foram feitas várias queixas de cidadãos à Ordem, cujo número disse não ter contabilizado.

Nos casos que envolvam médicos, as queixas seguem para os conselhos disciplinares.

O mesmo apelo foi feito aos médicos que sintam dificuldades no exercício da sua profissão, concluiu.