África

Governo canadiano apela ao cancelamento de viagens para zonas afetadas pelo Ébola

Governo canadiano apela ao cancelamento de viagens para zonas afetadas pelo Ébola

O Governo canadiano recomendou sexta-feira aos seus cidadãos para não viajarem para a Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa, devido aos casos de Ébola na África ocidental.

Para o Executivo de Otava apenas as viagens inadiáveis devem ser concretizadas.

A ministra da Saúde do Canadá, Rosa Ambrose, explicou em comunicado não haverem casos confirmados de Ébola no país e que o risco disso acontecer continua "muito baixo".

A governante alertou que as entradas no país são controladas como habitualmente e disse que qualquer passageiro que tenha sintomas de doenças pode ser colocado de quarentena.

"O Governo vigia de forma estreita a situação e está em permanente contacto com as missões responsáveis nas zonas afetadas", acrescenta a nota.

Os três países da África Ocidental que se confrontam com o vírus Ébola decidiram isolar o epicentro da epidemia, situado na sua fronteira comum, disse sexta-feira um dirigente depois de uma cimeira regional na Guiné-Conacri.

Serra Leoa, Libéria e Guiné-Conacri decidiram "concentrar-se nas regiões fronteiriças, que representam mais de 70% da epidemia", declarou a secretária executiva da União do Rio Mano, Hadja Saran Daraba, que junta os três países e a Costa do Marfim.