Sociedade

Stresse aumenta risco de infertilidade nas mulheres

Stresse aumenta risco de infertilidade nas mulheres

O stresse duplica o risco de infertilidade nas mulheres concluíram cientistas americanos, numa investigação que provou, pela primeira vez, a ligação entre a ansiedade e a infertilidade.

A ansiedade em ter um filho pode explicar a dificuldade que algumas mulheres enfrentam em tentar engravidar. São frequentes os casos em que só conseguem conceber quando param de tentar.

"Pela primeira vez, conseguimos mostrar que este efeito é clinicamente significativo, uma vez que está associado com mais do que o dobro do risco de infertilidade entre estas mulheres", diz Courtney Lynch, líder do estudo, da Universidade de Ohio, no jornal "Human Reproduction.

Germaine Louis, co-autor do estudo, afirma que eliminar o stresse antes de tentar engravidar pode diminuir o tempo que os casais demoram em comparação em ignorar o stresse.

Os cientistas observaram 373 mulheres americanas, entre os 18 e os 40 anos, que têm problemas em engravidar, causados pelo stresse.

O estudo revela que estas mulheres têm 29% de probabilidade de não conseguirem engravidar e têm o dobro da probabilidade de serem inférteis.

A prática de yoga e meditação é recomendada pelos cientistas para combater a ansiedade e o stresse.