Sociedade

Investigados casos de falta de transporte que impedem acesso à saúde

Investigados casos de falta de transporte que impedem acesso à saúde

A Administração Regional de Saúde do Norte vai averiguar casos, denunciados esta terça-feira em Alfandega da Fé, de pessoas com baixos rendimentos que estão a ser impedidas de se tratarem por falta de dinheiro para o transporte.

Fonte do Ministério da Saúde disse à Agência Lusa que ordenou à ARS Norte que, através do serviço de proximidade, averigue em todo o distrito de Bragança, situações de pessoas com insuficiência económica que não estão a usufruir do acesso a apoios a que têm direito.

A ARS Norte vai ainda lançar uma campanha de informação no distrito de Bragança.

A iniciativa do PS em defesa da Saúde registou hoje, em Alfândega da Fé, no Nordeste Transmontano, "dramas reais" de pessoas impedidas de se tratarem por falta de dinheiro para transporte que o Estado deixou de disponibilizar.

"É inadmissível que se deixe um doente sem uma transfusão de sangue por falta de transporte", constatou Álvaro Beleza, do secretariado nacional do PS, depois de ouvir o relato de Carolino Leitão, um idoso de 78 anos que deixou de receber tratamentos por falta de dinheiro para o pagamento do transporte.

Há oito anos que, todos os meses, ia a Vila Real levar duas transfusões de sangue devido a uma doença grave, fatal, na ausência deste tratamento.

"Vou morrer, estão à espera que eu morra", foi o lamento deixado por um reformado, que recebe pouco mais de 250 euros por mês.

PUB

Sobre esta situação em concreto, fonte do Ministério da Saúde disse à Lusa que "a lei não está a ser aplicada corretamente" uma vez que os utentes com rendimento abaixo dos 628 euros estão isentos do pagamento de transporte e de taxas moderadoras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG