Sociedade

Medicamento atrasa alguns meses regressão do cancro do ovário avançado

Medicamento atrasa alguns meses regressão do cancro do ovário avançado

Um medicamento aprovado para o tratamento do cancro do rim conseguiu atrasar em média perto de seis meses a regressão de cancro do ovário avançado, mostrou um estudo clínico divulgado este sábado.

Cerca de 70% das doentes com cancro do ovário avançado registam uma recaída após a cirurgia e quimioterapia e necessitam de retomar os tratamentos agressivos. A taxa de cura da doença é de apenas 20 a 25%.

Investigadores alemães descobriram que o medicamento pazopanib alargava o tempo médio para a doença piorar para os 17,9 meses em comparação com os 12,3 meses das doentes que tomavam um placebo na fase III de um ensaio clínico.

"Os nossos resultados mostram que finalmente temos um medicamento que pode manter o controlo sobre o crescimento do cancro do ovário após o conseguido através de tratamentos iniciais", disse Andreas du Bois, o principal autor do estudo, professor de oncologia ginecológica na Kliniken Essen Mitte, na Alemanha.

"Se o pazopanib for aprovado para o cancro do ovário, muitas pacientes terão períodos maiores sem a doença e sem quimioterapia", adiantou.

O estudo foi apresentado no encontro anual da American Society of Clinical Oncology.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG