Sociedade

Primeiro bebé do Centro Materno Infantil do Norte chama-se Dinis

Primeiro bebé do Centro Materno Infantil do Norte chama-se Dinis

O primeiro bebé do Centro Materno Infantil do Norte nasceu, esta segunda-feira, pelas 15.58 horas de cesariana, "apesar de tudo um parto menos difícil" do que o desta unidade hospitalar, que demorou décadas, disse o presidente da administração.

Chama-se Dinis o primeiro bebé do Centro Materno Infantil do Norte (CMIN), em homenagem, indicou fonte do hospital, ao nome da Maternidade Júlio Dinis que passou a integrar o CMIN, gerido pelo Centro Hospitalar do Porto.

O bebé, cujos pais são de Felgueiras, nasceu às 15.58 horas de cesariana, praticamente um mês depois da inauguração do CMIN, que abriu portas no dia 6 de maio na presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

"Ficámos muito satisfeitos porque foi um objetivo conseguido. Apesar de que cesariana foi menos difícil. O CMIN foi um parto dificílimo. Que venham muitos e que a natalidade cresça, que bem precisa", disse à Lusa o presidente do Centro Hospitalar do Porto, que que integra o CMIN, Sollari Allegro.

O responsável respondia à Lusa a propósito de este ser um dos marcos de um processo demorado. Dinis é a primeira criança a nascer de um projeto que tem várias décadas de impasse.

O CMIN está previsto desde 1991 e é uma obra orçada em mais de 40 milhões de euros, com financiamento comunitário de 21,7 milhões.

Inaugurado o edifício principal, onde foram instaladas as valências de internamento de Ginecologia, Obstetrícia e Pediatria, faltam concluir as fases dois e três, abertura da consulta externa e do parque de estacionamento, respetivamente.

Segundo Sollari Allegro, a consulta externa deve estar operacional "até antes do final de junho do próximo ano" - pelo menos, disse o responsável, é esse o compromisso estabelecido "face aos prazos dos fundos comunitários".

Quanto ao parque de estacionamento, que Allegro classificou de "um bom serviço ao cidadão" por ser "muito prático e útil", contará com cerca de 320 lugares.

"Este centro será seguramente uma marca para a região Norte porque foi feito um edifício de raiz, pensado para Centro Materno Infantil, com uma boa área de implantação e todas as condições", concluiu Sollari Allegro.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG