saúde pública

Vila Franca suspende equipamentos desportivos e aulas de Educação Física

Vila Franca suspende equipamentos desportivos e aulas de Educação Física

O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira anunciou que a autarquia vai encerrar provisoriamente os equipamentos desportivos e suspender as aulas de Educação Física nas freguesias mais afetadas pelo surto da "legionella".

Em conferência de imprensa, Alberto Mesquita anunciou também que foram desligados os sistemas de rega e as fontes ornamentais das freguesias da Póvoa de Santa Iria, Forte da Casa e Vialonga.

O autarca referiu, igualmente, que não existem "suspeitas" do que poderá estar a originar o surto de "legionella", bactéria causadora de pneumonia, e que a autarquia manterá uma linha de emergência disponível 24 horas por dia.

PUB

"Apesar das análises regulares que fazemos nas nossas piscinas e pavilhões entendemos que de facto até informação em contrário será a de tomar esta posição. Mais vale durante algum tempo encerrar estes equipamentos", afirmou o autarca.

Alberto Mesquita esclareceu que apenas serão encerrados os equipamentos desportivos das três freguesias mais afetadas pelo surto, sendo que os restantes equipamentos "funcionarão sem alterações".

O autarca adiantou ainda que a Câmara irá sugerir aos agrupamentos escolares das freguesias mais afetadas que suspendam provisoriamente as aulas de Educação Física, à semelhança daquilo que também tinha defendido o presidente da junta de freguesia de Vialonga.

O surto de legionella já causou quatro mortos, existindo 160 casos de infeção confirmados.

Questionado sobre o eventual encerramento de escolas no concelho de Vila Franca de Xira, o Ministério da Educação disse que "Internacionalmente não há recomendações para intervir em escolas".

"Os casos até agora reportados neste surto são todos em adultos com idade superior a 30 anos e noutros surtos só muito raramente e em condições clínicas muito especiais afetam crianças", refere o ministério.

O ministério adiantou que está em diálogo com o ministério da Saúde, mas só para disponibilizar serviços estatísticos e de apoio científico na análise do surto, além de estar a acompanhar a evolução dos casos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG