Sociedade

Segurança: Há dias em que ocorreram "igual, ou mesmo mais assaltos" - Gabinete Coordenador

Segurança: Há dias em que ocorreram "igual, ou mesmo mais assaltos" - Gabinete Coordenador

Lisboa, 26 Ago (Lusa) - O número de assaltos registados hoje não é especialmente preocupante, na opinião do responsável pelo Gabinete Coordenador de Segurança, general Leonel Carvalho, uma vez que ele tem "conhecimento de outros dias em que ocorreram igual, ou mesmo mais assaltos".

Leonel Carvalho comentava os três assaltos registados hoje a dependências bancárias, dois assaltos a bombas de gasolina e uma estação de correios.

O secretário-geral do Gabinete desvaloriza o facto de serem assaltadas dependências bancárias e que o crime é tratado de igual modo seja qual for o seu género - comércio de alimentação, ourivesarias ou qualquer espaço comercial.

Em relação aos crimes violentos e com recurso a armas, o responsável pelo Gabinete Coordenador de Segurança reconhece que alguns "são mais especializados, em determinadas áreas" e "com recurso a armas mais potentes e sofisticadas, bem como os seus métodos" de actuação.

Leonel Carvalho desconhece "como são obtidas as armas" mas com "a livre circulação é mais fácil". Dá como exemplo as 'máfias de leste', que há cerca de cinco anos estiveram a actuar em Portugal mas a Polícia Judiciária "desmantelou vários braços" da organização.

No entender do Gabinete Coordenador de Segurança, a "criminalidade violenta tem aumentado, desde o segundo semestre de 2007", em Portugal, apesar dos números totais não estarem ainda consolidados.

PUB

O general Leonel Carvalho explicou que, "desde 1997, e de uma forma geral, tem-se verificado um aumento gradual do crime violento", tendo os anos de 2003, 2005 e o primeiro semestre de 2007 estabilizado o número de crimes considerados violentos.

Leonel Carvalho afirmou no entanto que ainda "não existem números consolidados do crime violento em Portugal desde o início do ano".

Em termos comparativos, 2006 registou 391.085 ocorrências de crime contra 391.611 em 2007, pela Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública e Polícia Judiciária, conforme inscrito no do ano passado.

Ainda de acordo com o último Relatório Anual de Segurança Interna em 2006 foram detidas 395 pessoas, por roubo com arma de fogo, e em 2007 as autoridades detiveram 376 pelo mesmo tipo de crime.

Só hoje, e de acordo com dados fornecidos pelas forças e serviços de segurança, foram assaltadas, com recurso a armas de fogo, três dependências bancárias, dois postos de combustível e uma estação dos CTT, todos na região da Grande Lisboa.

MPC.

Lusa/fim

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG