Sociedade

Suspensão dos feriados será reavaliada ao fim de cinco anos

Suspensão dos feriados será reavaliada ao fim de cinco anos

A suspensão de quatro feriados, concretizada esta terça-feira, com o anúncio do acordo entre o Governo português e a Santa Sé, será reavaliada ao fim de cinco anos, anuncia um comunicado governamental.

O acordo, que vigorará a partir de janeiro, suspende os feriados religiosos do Corpo de Deus (60 dias após a Páscoa) e de Todos os Santos (1 de novembro). O Executivo já havia proposto ao Parlamento suspender os feriados civis de 5 de outubro (Implantação da República) e 1 de dezembro (Restauração da Independência).

"Na base deste compromisso encontra-se a preocupação de acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o País atravessa", lê-se no comunicado conjunto dos ministérios da Economia e dos Negócios Estrangeiros.

O corte dos feriados foi acordado na Concertação Social em janeiro passado e subscrito pelo Governo, associações patronais e central sindical UGT, mas não contou com a subscrição da CGTP, a outra confederação sindical.

"O Governo enaltece o sentido de responsabilidade demonstrado pelos Parceiros Sociais e salienta a disponibilidade e a abordagem construtiva da Santa Sé e da Conferência Episcopal Portuguesa", acrescenta a nota oficial.

Durante os cinco anos da suspensão serão comemorados em Portugal nove feriados nacionais.