O Jogo ao Vivo

Sociedade

Tema "Acordai" vai ser cantado em Lisboa, Porto e Guimarães

Tema "Acordai" vai ser cantado em Lisboa, Porto e Guimarães

O movimento "Acordai", que integra vários músicos e cantores, está a organizar encontros corais em Lisboa e no Porto, no próximo sábado à tarde, para interpretar a canção "Acordai", de Fernando Lopes-Graça e José Gomes Ferreira. Domingo, o "palco" é Guimarães.

O grupo organizativo do movimento inclui, entre outros, a cantora lírica Ana Maria Pinto, que esteve na origem da concentração coral que, na sexta-feira passada, cantou a mesma canção do ciclo "Canções Heroicas" de Lopes-Graça, em frente ao palácio de Belém, em Lisboa.

Além do Porto e Lisboa, a iniciativa acontece no domingo, pelas 21.30 horas, em Guimarães, que este ano é Capital Europeia da Cultura.

Em declarações à Lusa, Ana Maria Pinto afirmou que "o movimento visa sobretudo apelar à consciência através da palavra poética cantada, sendo que não há espaço mais verdadeiro e pleno de sentido que o espaço poético".

O núcleo organizativo inclui, entre outros, Ana Maria Pinto, a violinista Eliseu Silva, o pianista Daniel Godinho, a flautista Ana Catarina Costa e o pianista e compositor Tiago Simães.

"É precisamente o Sentido que é urgente acordar, o Sentido do melhor que existe em de nós... tão vivo e desperto na nossa Cultura", rematou a soprano.

Em Lisboa, a reunião das vozes está prevista para as 19.45 horas de sábado, nas arcadas do Teatro D. Maria II, no Rossio, estando "confirmadas, até ao momento 240 pessoas", mas, segundo Ana Maria Pinto, "estão a ser contactadas escolas de música, coros e outras instituições".

No Porto, à mesma hora, o ponto de encontro é a praça dos Leões, nos Clérigos, estando "já confirmadas 395 vozes". Também na Invicta "estão a ser contactados vários coros e escolas".

Ana Maria Pinto adiantou à Lusa que o maestro será António Saiote e "serão percorridas várias praças da cidade".

Em Guimarães, a concentração está prevista para as 21.30 horas de domingo no largo da Câmara, tendo já confirmado 133 vozes.

De acordo com a soprano, a escolha de uma das "Canções Heróicas", de Lopes-Graça, "é um apelo à consciência de todos", tendo Ana Maria Pinto qualificado a canção como "apropriada ao momento que atravessamos, ao afirmar 'acendam almas e sóis neste mar sem cais!'".

"Sou uma cidadã e quero participar ativamente na democracia do meu país, e daí esta urgência de chamar as pessoas à consciência", disse Ana Maria Pinto.

A soprano salientou que "a cultura é um veículo importantíssimo para consciencializar e sensibilizar as pessoas, nomeadamente em momentos como o atual, em que é urgente falar à alma muito mais que à matéria".

O Movimento Acordai integra-se no contexto dos protestos contra a política de austeridade e a intervenção da troika.

"Estou do lado dos mais fragilizados; eu sou uma fragilizada. Sinto, tal como escreveu Gomes Ferreira, que Portugal é um país à deriva sem faróis", disse Ana Maria Pinto.