Sociedade

Temperaturas suavizam e neve chega às terras altas

Temperaturas suavizam e neve chega às terras altas

A entrada de ar marítimo vai suavizar as temperaturas e trazer chuva a todo o país, a partir da madrugada de hoje. Nas terras altas, o ar ainda frio vai transformar a chuva em neve. Dez distritos estarão com alerta amarelo.

Durante a madrugada de hoje, a depressão que pairou sobre o arquipélago dos Açores - e que foi responsável pelos temporais ali verificados - desloca-se para o Continente. Segundo o Instituto de Meteorologia (IM), a depressão vai afectar o tempo, mas de forma mais suave do que aconteceu no arquipélago açoriano.

O frio acentuado que foi sentido, nos últimos dias, por todo o país vai dar lugar a temperaturas mais suaves, graças à entrada de ar do mar, mais quente do que o ar do interior, que até aqui varreu o país.

Segundo a meteorologista Maria João Frada, do IM, as nuvens - que já ontem ao final da tarde começaram a entrar pela região Sul do país - estender-se-ão às regiões Centro e Norte. Assim, hoje será, decididamente, um dia para voltar a pegar em gabardinas e guarda-chuvas.

Apenas nas terras altas, o ar frio irá dar lugar à ocorrência de queda de neve. Assim, as temperaturas mínimas ainda serão negativas na Guarda (-2 º C) e em Bragança (- 5º c) e de zero graus em Vila Real. As temperaturas máximas vão variar entre os 19.C em Sagres e os 2.C na Guarda. Mesmo assim, a Autoridade Nacional de Protecção Civil mantém o alerta amarelo em dez distritos: Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Aveiro, Viseu, Guarda, Castelo Branco e Coimbra. Os restantes distritos passam a alerta azul.

O frio que se fez sentir nos últimos dias foi responsável pelo aumento dos consumos energéticos registados. A queda das temperaturas obrigou a ligar os aquecimentos, pelo que o registo dos consumos de gás e de electricidade evidenciou um aumento do consumo acima do previsto.

De acordo com dados da empresa Redes Energéticas Nacionais (REN), o consumo de electricidade teve como pico os 7000 MW na segunda-feira, enquanto que no domingo o ponto mais alto não chegou aos 5000 MW. No ano passado, o dia de maior consumo foi a 2 de Dezembro, altura em que foram consumidos 8959 MW. Ontem, até às 21 horas, o pico de consumo rondava os 6000 MW, por volta das 17.30 horas.

PUB

Também o consumo de gás aumentou. De domingo para segunda-feira, passou-se de um consumo de 10,76 milhões de metros cúbicos normais equivalentes para 14,31 milhões.

Para o consumo de energia eléctrica terão também contribuído os cobertores eléctricos, cuja venda registou, nos últimos dias, uma subida assinalável. Manuel Dias, funcionário da Fertinel, revelou, ao JN, que as mantas e cobertores eléctricos têm tido uma procura elevada nos últimos dias. "Não são perigosos, desde que as pessoas sigam as instruções", realçou. Por outro lado, quem tem lareiras e salamandras em casa correu a comprar lenha para as acender. Vítor Machado, proprietário de um posto de venda de lenha em Miramar, Arcozelo, disse, ao JN, que até ao próximo sábado tem "a agenda cheia para entregas em casa".

Cada carga de lenha entregue em casa pesa cerca de 850 quilogramas e é composta por restos de madeira (eucalipto, austrália, pinheiro manso, oliveira e sobreiro).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG