Sociedade

Últimos euromilhões livres de impostos

Últimos euromilhões livres de impostos

Os portugueses têm só mais três hipóteses de se tornarem milionários sem pagar imposto. Em 2013, 20% dos prémios acima de 5000 euros vão para o Estado. O jackpot desta sexta-feira é de 100 milhões.

Esta sexta-feira, dia de Natal e 28 de Dezembro. São estes os últimos três sorteios do Euromilhões em que o Estado não irá arrecadar mais do que as habituais receitas líquidas do imposto de jogo, que rumam a várias áreas e à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML). No dia 3 de janeiro, os excêntricos que se preparem: as Finanças ficarão com 20% dos seus prémios líquidos iguais ou superiores a cinco mil euros.

Mas as regras também se aplicam aos parentes pobres dos jogos sociais do Euromilhões: Totoloto, Joker, Totobola, Totogolo, Lotaria Nacional - que tem o seu maior prémio no dia 24 (ler texto ao lado) - e Lotaria Instantânea (a denominada raspadinha).

Caso os 100 milhões de euros do jackpot do Euromilhões fossem já hoje taxados, 20 milhões iam para os cofres do Estado. E não compensa atravessar a fronteira, para se registarem as apostas do outro lado, porque em Espanha as medidas são mais pesadas (ler caixa ao lado).

Há, no entanto, quem"esteja a engrossar a lista de apostadores nos sites online, que por serem plataformas internacionais, as Finanças não as podem tributar. O 'grandesloterias.com' é apenas um dos exemplos onde qualquer jogador já pode apostar da lotaria britânica até ao Megasena (uma espécie de Euromilhões brasileiro).

O ano está quase a fechar com um saldo modesto de prémios nacionais. A Portugal saíram apenas dois grandes num ano de vários jackpots acumulados. A 13 de abril, 53,7 milhões foram para um apostador que entregou o seu boletim num tabacaria em Mirandela. E um outro de 15 milhões foi entregue dois meses depois no Funchal. Ambos escolheram permanecer anónimos.

Os últimos dados da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, até final de Outubro, apontam para 310 milhões de euros entregues no país este ano. Valor modesto para um país que é o terceiro - entre oito - com o maior número de prémios (44) arrecadados.

Para quem se quiser associar ao grupo dos milionários, pode arriscar nos números que têm saído mais vezes da tômbola - são o 50, o 4, o 19, o 11 e o 12.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG