O Jogo ao Vivo

apoio social

Um quinto das pessoas apoiadas não tem o que comer pelo menos uma vez por semana

Um quinto das pessoas apoiadas não tem o que comer pelo menos uma vez por semana

Mais de um quinto das pessoas que procuram instituições de solidariedade sente falta de alimentos pelo menos uma vez por semana, segundo um inquérito realizado pela Universidade Católica, em parceria com o Banco Alimentar e a Associação Entreajuda.

Do universo de 4691 utentes de mais de 500 instituições que responderam aos questionários, 27% mencionaram estar um dia inteiro sem comer algumas vezes por semana ou pelo menos uma vez.

"Vinte por cento diz não ter comida até ao final do mês, 32% diz que tal acontece às vezes e 49% diz ter sempre comida até ao fim do mês", refere ainda o estudo hoje divulgado.

PUB

Numa análise aos gastos dos utentes das instituições de solidariedade social, as despesas com alimentação e casa são as que mais pesam na fatia da verba mensal disponível, seguidos dos gastos com médicos e medicamentos.

As despesas com vestuário e calçado ou outros empréstimos representam valores abaixo dos 10% do total.

Cerca de um terço dos inquiridos contraíram empréstimos, a esmagadora maioria para a compra de casa, mas só menos de metade dizem pagar sempre as mensalidades.

Além da compra de casa (53%), o carro (19%) e os electrodomésticos (16%) são os bens que mais frequentemente são comprados a crédito. Apenas seis por cento diz ter recorrido a crédito para adquirir um televisor, verificando-se a mesma percentagem para consolas de jogos.

Da análise resulta ainda que quatro em cada dez pessoas só compram os medicamentos quando têm dinheiro ou optam pelos mais baratos, não conseguindo adquirir sempre os remédios que são receitados pelo médico.

Numa auto-avaliação à sua situação económica, 72% dos inquiridos sentem-se pobres, com uma larga maioria a atribuir a culpa da sua situação à própria sociedade (situações de desemprego ou rendimentos baixos).

Apenas 14% dos utentes que se consideram pobres se culpabilizam pela sua situação desfavorecida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG