Sociedade

Uma bombeira morta, dois feridos graves e cinco ligeiros no incêndio do Caramulo

Uma bombeira morta, dois feridos graves e cinco ligeiros no incêndio do Caramulo

(Em atualização) Uma bombeira de 21 anos morreu, esta quinta-feira de manhã, no incêndio do Caramulo, em Santiago de Besteiros. É o terceiro bombeiro a perder a vida no incêndio que lavra há oito dias na Serra do Caramulo. Neste verão, morreram já cinco bombeiros no combate às chamas. Há ainda cinco feridos ligeiros e dois em estado grave. Duas localidades de Tondela estão a ser evacuadas.

Um remoinho de fogo terá apanhado a viatura dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal, esta quinta-feira, quando combatiam as chamas em Santiago de Besteiros, juntamente com corporações de Santa Comba Dão, Campo de Besteiros, Sapadores de Santiago de Besteiros e uma equipa do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS).

Uma bombeira de Carregal do Sal morreu. Trata-se de Cátia Pereira Dias, de 21 anos. Há cinco feridos ligeiros e dois em estado grave, com pelo menos 60% do corpo queimado, segundo adiantou ao JN o comandante operacional distrital de operações de socorro de Viseu, Lúcio Campos. Um dos feridos graves é militar do GIPS.

Os feridos graves, da corporação de Carregal do Sal, estão a ser transferidos de helicóptero, a partir de Campo de Besteiros, para unidades hospitalares. Um deles irá para o Hospital da Prelada, no Porto.

Entre os feridos ligeiros, sendo dois de Carregal do Sal e três de Santa Comba Dão, há um que foi transportado de helicóptero para o Porto, manifestando dificuldades respiratórias.

Aldeias evacuadas

O autarca de Tondela, Carlos Marta, classificou o sucedido esta quinta-feira como "uma tragédia". "Isto não para", disse, acrescentando que "deve haver mão criminosa" na origem do incêndio que lavra na Serra do Caramulo.

As localidades de Mosteirinho e Fráguas, no concelho de Tondela, estão a ser evacuadas, devido ao avanço das chamas.

Já durante a noite, várias aldeias foram evacuadas. De acordo com o comandante do Agrupamento Distrital do Centro Norte, António Ribeiro, a noite "foi difícil devido ao vento muito forte que se estendeu com muita violência". O incêndio, com duas frentes, está a evoluir na direção de Águeda.

Segundo o mesmo responsável, o fogo atravessou diversas aldeias, onde existem muitas casas isoladas e, durante a madrugada, "foi necessário retirar algumas pessoas das habitações". Uma casa ardeu, durante esta madrugada, na localidade de Bezerreira.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG