Sociedade

Vingança entre os motivos mais comuns para atear fogos que este ano quase triplicaram

Vingança entre os motivos mais comuns para atear fogos que este ano quase triplicaram

Mão criminosa. Acusação dita e redita nestes últimos dias, em que os incêndios florestais tomam conta do país. Os números da PJ assim o parecem comprovar. Quer em detenções, quer em ocorrências.

Deram entrada na PJ neste ano, até à passada quarta-feira, 636 inquéritos. Estamos a falar de processos que já passaram pelo crivo da GNR, e aos quais foi associada presumível ação criminosa. No ano passado, em igual período, estavam sob investigação 292 ocorrências. O número de detidos também mais do que duplicou. Somaram-se sete em 2011, já"vão em 19 este ano.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias