O Jogo ao Vivo

Sociedade

VMER e profissionais retidos por falta de crédito para pagar combustível

VMER e profissionais retidos por falta de crédito para pagar combustível

Uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação, uma médica e um enfermeiro estiveram retidos num posto de combustíveis de Coimbra, entre as 22.00 horas e as 24.00 horas desta terça-feira, por falta de crédito no respetivo cartão de desconto "Galp Frota", para pagarem o gasóleo de que ali se tinham abastecido.

Depois de assistir e acompanhar um doente urgente até ao Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) deslocou-se às bombas de combustível situadas em Coselhas, junto à Circular Externa de Coimbra, para se abastecer de gasóleo. Contudo, a médica e o enfermeiro de serviço à VMER não conseguiram efetuar o pagamento, porque se havia esgotado o "plafond" mensal do cartão "Galp Frota" associado à viatura.

Os profissionais precisaram de esperar pelas 00.00 horas deste dia 1 de maio para conseguirem pagar o combustível. Embora se tenham recusado a prestar declarações, o JN apurou que só conseguiram fazer o pagamento e retomar o serviço porque, àquela hora, o referido cartão de desconto foi recarregado, automaticamente, com o "plafond" do mês de maio.

Está em causa a única VMER ao serviço do Hospital dos Covões que, recentemente, foi integrado no CHUC e que deixou de ter serviço de urgências à noite.

Ainda segundo as informações recolhidas pelo JN, a gestão do "plafond" dos cartões de desconto de combustível das VMER é feita diretamente pelas instituições hospitalares a que aquelas estão associadas e não pelo Instituto Nacional e Emergência Médica (INEM).