Banco de Portugal

Nomeação

PS quer "nojo" de três anos entre privado e BdP e parecer sobre candidatos

O PS entregou esta sexta-feira a sua proposta sobre as regras de nomeação para o Banco de Portugal (BdP), defendendo que haja um período de nojo de três anos entre o privado e o BdP, para acabar com a transição direta entre esta entidade, os bancos e consultoras. E também propõe que saia do Parlamento para o Governo um parecer indicando se o candidato reúne ou não condições para o cargo, embora não seja vinculativo.

Imagens

Últimas