Beber

Beber

Cocktails, sangrias e petiscos portugueses no novo bar de Coimbra

A Praça do Comércio, na Baixa de Coimbra, tem um novo residente. O Comércio da Praça, inaugurado em julho, é um bar com petiscos portugueses, alguns com um toque mais moderno, ou não tivessem a assinatura do chef Paulo Queirós, responsável pelo restaurante Cordel Maneirista, do lado de lá do Mondego. Nesta margem, há uma esplanada ampla e sugestões como chouriço cozido em vinho tinto, folhados de queijo Rabaçal com mel e nozes, orelha de porco em vinagrete, dobradinha com feijão branco ou atum com «ciclistas» - nome dado ao feijão-frade em Trás-os-Montes, explica Paulo Queirós, que foi cedo para […]

Beber

Lisboa: O bar clássico que é ideal para os serões de inverno

Muitas portas se têm aberto no mundo da restauração lisboeta, mas um clássico nunca foge de moda. O ambiente intimista que se cria nas suas quatro salas a meia-luz (uma delas com uma convidativa lareira) não só pode ser uma das razões para um percurso estável que leva já quatro décadas como é um bom programa para os dias frios que já chegaram. Enquanto se aprecia a decoração art déco e a música jazz que habitualmente se ouve ao vivo está uma variedade de bebidas, dos vinhos à cerveja artesanal, sangrias e os seus já famosos cocktails de autor. O […]

Beber

Sommeliers: 10 mestres do vinho que deve conhecer

O que faz o sommelier? A figura aparece na mitologia grega, nos textos bíblicos, na Idade Média, na corte e, hoje, nos restaurantes, quase sempre com uma garrafa na mão, discretos, mas atentos. «Escanção era o homem que vertia o vinho ao seu soberano e tinha um posto dentro do reino muito alto. Já a conotação de sommelier, no início, era a de um fidalgo menos nobre, que cuidava das roupas de cama do rei. Além disso, escanção é uma palavra só nossa». Victor Pinho fez questão de usá-la e também de honrá-la na tese terminada o ano passado em […]

Beber

Chryseia: 18 anos de boas colheitas no Douro

Nada no vinho é imediato, nada no vinho admite pressas. Excetuando a inevitabilidade da pressão no período de vindima e as adversidades impostas pela natureza em cada vindima, tudo é intencional, tem mão humana e exige tempo. Quando em 1999 nasceu a Prats & Symington nascia ao mesmo tempo a estreia de Bruno Prats como produtor em Portugal. Autor dos vinhos do Château Cos d"Estournel, em St-Estèphe, Bordéus, decidiu vender a sua parte do negócio e associar-se à família Symington para fazer nascer o projecto Chryseia. Trocou, por assim dizer, as castas-base Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon pelo dueto Touriga […]