Crise na Venezuela

Venezuela

Caracas acusa TAP de permitir explosivos a bordo

O argumento foi aduzido pelo presidente da Assembleia Constituinte Venezuela, considerado o número dois na hierarquia do chavismo, atrás do presidente, Nicolás Maduro: a transportadora aérea portuguesa (TAP) e as autoridades aeroportuárias nacionais (ANA) são acusadas de ter deixado embarcar no avião que na terça-feira ligou Lisboa a Caracas "material muito perigoso", cujo alegado portador, Juan José Márquez, foi detido à chegada à Venezuela. Nem TAP nem ANA comentam as afirmações.

Imagens

Últimas