fundos comunitários

Barcelos

Julgamento da AIMinho prossegue com análise de faturas falsas

O Tribunal de Braga prossegue, esta segunda-feira, em Barcelos, o julgamento do megaprocesso da extinta Associação Industrial do Minho (AIMinho), com a análise do ponto seis do despacho de pronúncia, que se prende com a sua ação enquanto Organismo Intermédio encarregue da gestão de fundos europeus. Nesta condição, terá gerido dezenas de operações de financiamento, totalizando nove milhões de euros, parte dos quais com esquemas presumivelmente fraudulentos de retenção de capitais. A associação tornou-se Organismo Intermédio em 2008 com delegação de competências dada pelo POPH-Programa Operacional Potencial Humano.

Imagens

Últimas