José Luís Peixoto

José Luís Peixoto

Toda a Índia em Deli: uma crónica de José Luís Peixoto

É difícil encontrar uma ordem para descrever Deli porque a forma como os elementos surgem é, ela própria, desordenada e aleatória. Escolho começar pelo trânsito. Para além dos carros, camiões, autocarros, carroças, enxames de motas e bicicletas existem também os riquexós (a pedais) e os autorriquexós (motorizados). A prioridade é definida pelo tamanho do veículo e pela oportunidade. Mão e contramão são conceitos subjetivos. É muito vulgar estarmos a deslocar-nos em qualquer um destes veículos e vir outro de frente, sem perspetiva de abrandar. Até em estradas com separadores centrais há veículos fora de mão, até nos passeios. Carros, bicicletas […]

volta ao mundo

Jacarta: uma crónica de José Luís Peixoto

Caminhei durante cerca de meia hora a partir do monumento Selamat Datang, algumas centenas de metros por passeios de cimento, ao lado de uma enorme estrada, Jalan Thamrin, fluxo permanente de trânsito, carros, camionetas, bandos de motas a preencher os intervalos. O trânsito era um rio que, em vez de água, levava toda aquela chapa, fumo de canos de escape, homens com capacete, mulheres sentadas de lado no banco das motas. Selamat Datang significa bem-vindo em bahasa; pelo menos, assim me tinham dito, com um sorriso transbordante, esse mesmo sorriso a fazer-me sentir bem-vindo. O sol existia na sua máxima […]

volta ao mundo

Zagreb: uma crónica de José Luís Peixoto

Por baixo de Zagreb está uma cidade que só eu consigo ver. Os edifícios, a paisagem, as pessoas e os objetos estão no mesmo lugar, quase sobrepostos, mas apresentam ligeiras diferenças nos contornos, no tom de algumas cores. Às vezes, é difícil explicar com exatidão os contrastes entre Zagreb e a cidade que só eu consigo ver. Não é uma cidade exata, mas existe, apresenta um certo nível de tangibilidade que, para mim, tem muita importância. Por baixo de Zagreb está a cidade que conheci quando vim aqui pela primeira vez, há quase vinte anos, e que fui ampliando em […]

volta ao mundo

Pequim-Xangai: uma crónica de José Luís Peixoto

Talvez a própria China seja como um destes comboios bicudos de alta velocidade. A primeira vez que estive na Estação Sul de Pequim foi há menos de dez anos e, no entanto, ao regressar agora, tudo mudou. Já não existem aqueles homens e mulheres do campo, com pele queimada pelo sol ou, pelo menos, já não carregam aqueles sacos de serapilheira às costas. Continua a haver uma imensa multidão sem tréguas, milhares de pessoas, famílias de muitas gerações, gente no meio do caos a comer qualquer coisa. Depois de passar pelo controlo de metais, procuro a linha de onde sairá […]

Imagens

Últimas