Locais

Milhares de turistas no Funchal para a Festa da Flor

Milhares de turistas no Funchal para a Festa da Flor

A cidade do Funchal, que no domingo recebe mais um cortejo alegórico da Festa da Flor, está inundada de cores e aromas, mas também de milhares de turistas para ver um dos principais cartazes turísticos da Madeira.

A Festa da Flor, que enche praticamente por completo a hotelaria da ilha, com 30 mil camas, tem como tema "Madeira - Rota das Flores" e o seu momento mais aguardado é o cortejo alegórico, a partir das 16.00 horas de domingo, na avenida do Mar, por onde vão desfilar 1300 figurantes, distribuídos por nove grupos.

O Governo da Madeira investe este ano cerca de 300 mil euros, mais 30 mil euros que em 2012, neste programa que começou na quinta-feira e termina dia 19.

"É primeira vez que estamos na Madeira. Somos tão sortudos por termos escolhido chegar nesta semana, o que foi por acaso", disse à agência Lusa a inglesa Patricia Edwards, de 69 anos, enquanto admirava os tapetes florais que embelezam por estes dias a avenida Arriaga.

No mesmo local, a exposição de flores - já na 58.ª edição - era de visita obrigatória para o suíço Franz Schorno, de 62 anos, que não se cansava de repetir: "A Madeira é muito bonita".

"Hoje, é um dia fantástico", declarou, "completamente" rendido à ilha que muitos dizem ser um jardim.

A jardins assemelham-se os vários espaços onde, na mesma avenida, se vendem flores, mas também outros produtos tradicionais da ilha, com os proprietários esperançados em ver, além do colorido das plantas, a cor do dinheiro.

"Acho que está um pedacinho pior [o negócio]", comentou Lúcia Ornelas, de 49 anos, que repete há cinco anos a presença na iniciativa.

Reconhecendo existir "bastante movimento" na cidade do Funchal, a vendedora lamentou que este não se reflita no dinheiro em caixa: "As pessoas estão com pouco poder de compra", desabafou.

"Não está tão bom como nos anos anteriores", disse, por sua vez, Norberto Fernandes, produtor de flores de 48 anos, 13 dos quais no certame.

Adiantando que são os madeirenses quem compra mais flores, enquanto os turistas escolhem mais sementes e bolbos, o responsável reconhece na edição deste ano "mais beleza", com mais "plantas mais exóticas e variedades que nunca estiveram aqui presentes".

"É para espantar a crise", afirmou, realçando a animação no local e pela cidade, onde estabelecimentos comerciais também se "vestiram" a rigor para assinalar a Festa da Flor.

ver mais vídeos