Beijo lésbico de atletas russas acende polémica

18/08/2013
As atletas russas Kseniya Ryzhova e Tatyana Firova, distinguidas com a medalha de ouro na prova de estafetas, no Mundial de Atletismo, em Moscovo, celebraram a vitória com um beijo lésbico. O ato tem sido alvo de polémica e é visto como uma afronta às leis anti-homossexuais aplicadas na Rússia.
 
GRIGORY DUKOR/REUTERS

Vencedoras da medalha de ouro da prova de 400 metros de estafetas, as atletas Kseniya Ryzhova e Ttyana Firova reacenderam a polémica em torno da política anti-homossexual russa que proíbe qualquer tipo de propaganda gay a menores de 18 anos.

Esta não é, no entanto, a primeira vez que o assunto é abordado nos Mundiais de Atletismo, que começaram no passado sábado e terminam este domingo. Na sexta-feira, a atleta russa do salto à vara Yelena Isinbayeva alegou que tinha sido mal interpretada, depois de ter demonstrado publicamente o apoio às medidas do Governo russo e criticado as atletas suecas que haviam pintado as unhas com as cores da bandeira gay como forma de apoio à comunidade homossexual.

"O inglês não é a minha primeira língua, penso que poderei ter sido mal entendida", disse a atleta que apenas queria chamar a atenção para a necessidade das pessoas "respeitarem as leis dos outros países, principalmente quando são as suas convidadas".

Em resposta às declarações da russa, Emma Green Tregaro, que levou para a Suécia a medalha de bronze, pôs no Instagram uma imagem das unhas pintadas com a mensagem: "Unhas pintadas com as cores do arco-íris". "A primeira coisa que vi quando cheguei a Moscovo foi um arco-íris, é irónico", disse, posteriormente, a atleta, cujo exemplo foi seguido por outras com publicações semelhantes.

Em resposta, Isinbayeva afirmou que as declarações da sueca eram "desrespeitosas" para a Rússia. "Talvez sejamos diferentes do europeus e outras pessoas de terras diferentes", afirmou, acrescentado que "quando chegámos a um país diferente, temos de seguir as suas leis. Homens com mulheres e mulheres com homens".

Também o corredor americano Nick Symmonds criticou a atitude da atleta russa. "Quero dizer à Yelena que gays e lésbicas são pessoas normais também", afirmou, dedicando a sua medalha de prata aos seus amigos homossexuais.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora
subscrever

 
 
Mais Mundo
29.08.15
A tempestade tropical Erika, que já fez 27 mortos na República Dominicana e causou danos em Puerto Rico, está a dirigir-se para o norte do Haiti,...
28.08.15
Um grupo de 163 crianças-soldado, incluindo cinco raparigas, foi libertado esta sexta-feira pelas milícias cristãs "anti-balaka" em Batafongo, na...
 



Global Notícias - Media Group S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled