Beijo lésbico de atletas russas acende polémica

18.08.2013 - 12:06
As atletas russas Kseniya Ryzhova e Tatyana Firova, distinguidas com a medalha de ouro na prova de estafetas, no Mundial de Atletismo, em Moscovo, celebraram a vitória com um beijo lésbico. O ato tem sido alvo de polémica e é visto como uma afronta às leis anti-homossexuais aplicadas na Rússia.
 
GRIGORY DUKOR/REUTERS

Vencedoras da medalha de ouro da prova de 400 metros de estafetas, as atletas Kseniya Ryzhova e Ttyana Firova reacenderam a polémica em torno da política anti-homossexual russa que proíbe qualquer tipo de propaganda gay a menores de 18 anos.

Esta não é, no entanto, a primeira vez que o assunto é abordado nos Mundiais de Atletismo, que começaram no passado sábado e terminam este domingo. Na sexta-feira, a atleta russa do salto à vara Yelena Isinbayeva alegou que tinha sido mal interpretada, depois de ter demonstrado publicamente o apoio às medidas do Governo russo e criticado as atletas suecas que haviam pintado as unhas com as cores da bandeira gay como forma de apoio à comunidade homossexual.

"O inglês não é a minha primeira língua, penso que poderei ter sido mal entendida", disse a atleta que apenas queria chamar a atenção para a necessidade das pessoas "respeitarem as leis dos outros países, principalmente quando são as suas convidadas".

Em resposta às declarações da russa, Emma Green Tregaro, que levou para a Suécia a medalha de bronze, pôs no Instagram uma imagem das unhas pintadas com a mensagem: "Unhas pintadas com as cores do arco-íris". "A primeira coisa que vi quando cheguei a Moscovo foi um arco-íris, é irónico", disse, posteriormente, a atleta, cujo exemplo foi seguido por outras com publicações semelhantes.

Em resposta, Isinbayeva afirmou que as declarações da sueca eram "desrespeitosas" para a Rússia. "Talvez sejamos diferentes do europeus e outras pessoas de terras diferentes", afirmou, acrescentado que "quando chegámos a um país diferente, temos de seguir as suas leis. Homens com mulheres e mulheres com homens".

Também o corredor americano Nick Symmonds criticou a atitude da atleta russa. "Quero dizer à Yelena que gays e lésbicas são pessoas normais também", afirmou, dedicando a sua medalha de prata aos seus amigos homossexuais.

Ler Artigo Completo
 
 
Conferência 3º Aniv DV - JN Destaque 300x100
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora

 
 
VER VÍDEO
Close-up

Novo capítulo da série "The Hunger Games" chega aos ecrãs

AtualidadePassageiros querem metro do Porto permanente
Companhia dos LivrosA Máfia vista por dentro
Mais Mundo
20.11.14
Os serviços de informações internos israelitas (Shin Beth) afirmaram que foram detidos três membros do movimento islamita palestiniano Hamas, suspeitos...
20.11.14
O futebolista mexicano do Real Madrid Javier "Chicharito" Hernández manifestou a sua solidariedade para com os 43 estudantes desaparecidos na cidade...
20.11.14
Um atentado atribuído ao Boko Haram numa vila no nordeste da Nigéria assolada por uma insurreição de caráter islamita causou pelo menos 45 mortos...
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

26 Comentários


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled