Mário Soares: Acordo com FMI é "bastante melhor" que o grego e irlandês

07/05/2011
O antigo presidente da República, Mário Soares, afirmou, este sábado, que nunca considerou o FMI um "monstro", e reiterou que o acordo alcançado por Portugal é "melhor do que se esperava" e "bastante melhor" do que o grego e irlandês.
 

"Tive ocasião de duas vezes receber FMI, em circunstâncias muito diferentes, em 1978 e 1983, e nunca achei que o FMI fosse um monstro. Para mim, os grandes monstros são os mercados, que não têm regras, e não propriamente uma organização como o FMI", afirmou Mário Soares aos jornalistas.

Numa sessão de autógrafos da republicação do livro "Diálogo de Gerações", escrito com Sérgio Sousa Pinto, o antigo presidente e antigo primeiro-ministro insistiu que o acordo "é melhor do que se esperava", evitando qualificá-lo de bom.

"Este acordo, como todos os acordos que vêm daquela zona, mas toda a gente pensava que seria muito pior e, relativamente ao que se passou com a Grécia e a Irlanda, é bastante melhor", disse.

Mário Soares sublinhou que "o FMI melhorou", sobretudo sob a direcção do socialista francês Strauss-Khan, e que, relativamente a Portugal, fez "declarações muito positivas, dizendo que era possível resolver os problemas da finanças, mas que, mais do que isso, era preciso conseguir diminuir o desemprego, arranjar mais emprego, investir no sentido de haver desenvolvimento da produção portuguesa, da riqueza portuguesa".

Também Sérgio Sousa Pinto defendeu "que não vale a pena uma leitura 'tremendista' da situação do país" e "é preciso ver as coisas por um ângulo construtivo e positivo" e, nesse sentido, argumentou, "o FMI traz grandes oportunidades".

 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora
subscrever

 
 
Mais Nacional
04.08.15
Há mais vozes a defenderem que homens homo e bissexuais podem doar sangue. As recomendações do grupo de trabalho criado pelo Instituto Português do...
03.08.15
Um teste de urina poderá ajudar a detetar o cancro do pâncreas numa fase precoce, revela um estudo publicado na revista Clinical Cancer Research.
03.08.15
João Perry e Rita Blanco partiram na última sexta-feira do aeroporto de Lisboa rumo às lhas do Faial e do Pico
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

 



Global Notícias - Media Group S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled