Vale e Azevedo condenado a 10 anos de prisão devido a negócios do Benfica

 | 02/07/2013
Vale e Azevedo foi condenado, esta manhã de terça-feira, a 10 anos de prisão por branqueamento de capitais, peculato, falsificação de documento e abuso de confiança, no negócio das transferências dos futebolistas britânicos Gary Charles e Scott Minto, do brasileiro Amaral e do marroquino Tahar El Khalej.
 
Pedro Rocha / Global Imagens
José Marchueta, advogado do SL Benfica, cumprimenta Luísa Cruz, advogada de Vale e Azevedo

Ex- presidente do Benfica, de novembro de 1997 a outubro de 2000, estava acusado da apropriação indevida de mais de quatro milhões de euros pertença do clube.

Na leitura da decisão, a cargo do presidente do coletivo de juízes José Barata, e na qual Vale e Azevedo esteve ausente, foi dada como provada a essência da acusação sendo referido que o advogado agiu com dolo.

"Não restam dúvidas de que [Vale e Azevedo] se apropriou de verbas que não lhe pertenciam", referiu o juiz José Manuel Barata, que condenou ainda o antigo presidente do Benfica "a restituir ao clube" mais de cinco milhões de euros, a que acrescem juros de mora, o que perfaz mais de sete milhões de euros.

O tribunal condenou Vale e Azevedo a quatro anos de prisão por um crime de peculato na transferência do futebolista britânico Scott Minto.Pelo mesmo crime, Vale e Azevedo foi condenado a cinco anos de prisão pela transferência do também britânico Gary Charles.

Foi ainda condenado a três anos por abuso de confiança no que se refere à transação dos direitos desportivos do brasileiro Amaral.

O tribunal atribuiu igualmente as penas de dois anos de prisão pela falsificação de documento na transferência de Scott Minto e de quatro anos e meio na negociação de Amaral.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora

 
 
Mais Segurança
26.02.15
O Comando Territorial de Lisboa da GNR anunciou a apreensão de 2500 embalagens de substâncias psicoativas, no valor estimado em cerca de 70 mil euros...
26.02.15
A PSP deteve uma mulher por posse ilegal de produtos explosivos durante uma operação nacional em que foram fiscalizadas 23 empresas de pirotecnia.
26.02.15
O responsável pelo site da internet "Tugaleaks" é um dos sete detidos, esta quinta-feira, pela Polícia Judiciária por crimes de sabotagem informática...
26.02.15
Os sete elementos do grupo "Anonymous", incluindo Rui Cruz, diretor da página "Tugaleaks", detidos na operação C4R3T05 (CARETOS) arriscam prisão preventiva...
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

 


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled