swap

Secretária de Estado assinou quatro contratos com perdas potenciais na REFER

Secretária de Estado assinou quatro contratos com perdas potenciais na REFER

A REFER contratou pelo menos cinco swap durante o período em que a atual secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, exercia funções como diretora financeira da empresa. Desses, só um tinha ganhos.

Há exatamente uma semana, o primeiro-ministro, Passos Coelho, garantiu no Parlamento não existirem contratos especulativos "entre os produtos que foram negociados" pela atual secretária de Estado do Tesouro quando estava na REFER. Passos Coelho, que respondia a uma questão colocada pelo Bloco de Esquerda, disse sustentar a sua resposta no relatório do IGCP que analisa os contratos de swap assinados pelas empresas públicas.

Segundo dados fornecidos pelo Governo à comissão de inquérito, no final de 2012 existiam seis contratos swap ativos entre vários bancos e a REFER. Desses seis contratos, cinco foram celebrados entre o final de 2004 e janeiro de 2007, altura em que Maria Luís Albuquerque exercia funções como diretora do departamento de gestão financeira da REFER (2001 a 2007). Destes últimos, apenas um tinha um ganho potencial para a empresa, tendo os restantes perdas potenciais avaliadas em cerca de 31 milhões de euros.

* COM LUSA

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM