Redes sociais

Anda há uma década a "matar" filhos na net

Anda há uma década a "matar" filhos na net

Inês, de 31 anos, andará há cerca de 10 anos a apropriar-se de fotos de crianças doentes, que depois publica em redes sociais como se fossem seus filhos ou familiares.

O caso do pequeno António, de cinco anos, cujas fotos foram usados no Facebook e para uma lápide colocada no cemitério de S. Pedro de Avioso, na Maia, mostra que ela deu mais um passo nas história que inventa. Esta sexta-feira, podia ler-se no Facebook que "há mais de dez anos que usa histórias macabras".

"Utilizou fóruns (ainda antes do FB) para contar histórias de filhos, irmãs, sobrinhos, toda a "família" lhe morria de forma violenta. Conta ainda quem a conhece que, há cerca de 13 anos, participou em fóruns de pais enlutados. Ia buscar fotografias de páginas inglesas, americanas, tudo lhe servia. Quando era desmascarada, insurgia-se, desligava e voltava tempos depois com novo nome e nova história", diz uma internauta.

COM NUNO SILVA

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado