Crimes de Aguiar da Beira

Pedro Dias: "Esta pistola era de um polícia que eu matei"

Pedro Dias: "Esta pistola era de um polícia que eu matei"

Acusação do Ministério Público destaca frieza de "Piloto". GNR sobrevivente continua com proteção policial.

Depois de assassinar o guarda Carlos Caetano com um tiro na cabeça disparado a 20 centímetros, Pedro Dias, conhecido por "Piloto", foi também à cabeça que apontou para ameaçar de morte mais vítimas e para tentar tirar a vida ao guarda António Ferreira e a Liliane Pinto. Foi assim também que matou Luís Pinto. A uma mulher que sequestrou e tentou matar, em Arouca, chegou a dizer: "Está quieta. Não sabes que esta pistola era de um polícia que eu matei?"

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM