Vila Real

"Piloto" abandonou carro e calças com sangue

"Piloto" abandonou carro e calças com sangue

A carrinha Opel Astra branca que Pedro Dias "Piloto" roubou em Arouca foi encontrada à beira da estrada, junto a um depósito de resina, na aldeia de Carro Queimado, em Vila Real.

No interior da viatura terão sido encontradas umas calças ensanguentadas, pelo que as autoridades acreditam que poderá estar ferido.

Segundo apurou o JN, a Polícia Judiciária (PJ) já teria localizado a viatura há algumas horas, ainda no domingo à tarde, e foi feita uma operação de vigilância na envolvente para perceber se Pedro João Dias voltava ao local, o que não aconteceu, pelo que a carrinha acabou por ser rebocada para as instalações de Vila Real, para análise mais exaustiva.

Os militares da GNR, com cães treinados, passaram depois a área a pente fino e os inspetores da PJ fizeram buscas em duas casas de emigrantes, junto ao local onde o carro foi encontrado. As casas estão fechadas nesta altura do ano e não terão sido encontrados vestígios de arrombamento.

O cerco policial foi montado em redor de Carro Queimado, onde a população garante que existem muitos locais onde o homicida de Aguiar da Beira se pode esconder. "O que não falta por esses montes fora são palheiros para ele se abrigar. Também há muitas casas de emigrantes que estão fechadas e onde ele se pode esconder", afirmou Joaquim Pinto, habitante de Carro Queimado.

A carrinha foi encontrada numa estrada municipal que liga Carro Queimado a várias aldeias, entre as quais Constantim, onde Pedro Dias foi visto no domingo à tarde. A viatura foi identificada na zona industrial de Vila Real por uma patrulha da GNR, que seguiu no seu encalço. Acabou por perder-lhe o rasto numa rua de sentido único, já na aldeia de Constantim.

Fernando Magalhães, habitante da aldeia que estava a tentar estacionar nessa rua, deixou passar a Opel Astra conduzida por Pedro Dias, mas acabou por bloquear inadvertidamente a GNR que seguia no encalço do fugitivo. Apesar de não ter reconhecido o condutor, Fernando Magalhães garante que ele "estava calmo, não apitou e não fez nenhuma manobra perigosa". Há suspeitas de que Pedro Dias possa estar a receber ajuda de conhecidos que tem na região.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, as autoridades acreditam que Pedro João Dias pode também tentar procurar guarida nas zonas de Mondim de Basto e Montalegre, onde já fez vários negócios de gado.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM