Animais

Lince andou três mil quilómetros e morreu atropelado na Maia

Lince andou três mil quilómetros e morreu atropelado na Maia

Kentaro nasceu em Silves em 2013 e foi libertado, em 2014, na região espanhola de Montes de Toledo. Morreu atropelado na Maia, no passado fim de semana, depois de andar mais de três mil quilómetros.

O lince ibérico Kentaro foi encontrado atropelado no concelho da Maia no passado dia 15 (sábado), anunciou o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), esta quarta-feira.

Kentaro nasceu em março de 2013 no Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico, em Silves, e foi colocado em liberdade em dezembro de 2014, na zona montanhosa de Montes de Toledo, entre os rios Tejo e Guadiana, no âmbito do projeto "LIFE+Iberlince" de recuperação da distribuição histórica do lince ibérico em Espanha e Portugal.

No verão de 2015, Kentaro foi registado nas províncias de Toledo, Madrid, Cuenca, Guadalajara, Saragoça, Soria, La Rioja, Burgos, Palencia, Valladolid e Zamora. Entrou em Portugal pela Serra de Montesinho e regressou a Espanha, onde foi feita uma tentativa de captura, em dezembro de 2015, refere o ICNF em comunicado.

"A última emissão da sua coleira GPS indicava que se encontrava em Ourense" e "desde março que a sua localização era desconhecida", acrescenta. Até ao último fim de semana, quando morreu atropelado, "uma das principais causas de morte de linces ibéricos reintroduzidos" na natureza, segundo o ICNF.

Sabe-se agora, Kentaro percorreu mais de três mil quilómetros entre Portugal e Espanha nos últimos dois anos.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado