O Jogo ao Vivo

Namíbia

Descoberta de navio português carregado de ouro volta à ribalta

Descoberta de navio português carregado de ouro volta à ribalta

"O Bom Jesus" afundou-se há 500 anos e foi descoberto na Namíbia por mineiros que procuravam diamantes. O tesouro encontrado foi avaliado em mais de 11 milhões de euros. A história foi recuperada por uma estação norte-americana.

A notícia foi publicada esta semana pela estação norte-americana "Fox News" e recupera a história de uma das maiores descobertas de navios naufragados de sempre. O artigo chamou a atenção da comunicação social portuguesa, embora os trabalhos de recuperação e catalogação do espólio encontrado tivessem já sido concluídos há vários anos.

A história do navio português, agora recuperada, não era no entanto muito conhecida do grande público, o que gerou grande interesse entre os leitores e nas redes sociais.

Ao JN, fonte do Ministério da Cultura esclarece que " a Convenção da UNESCO de 2001 para a Proteção do Património Cultural Subaquático, cuja implementação é competência da DGPC, teve em Portugal dos principais impulsionadores (sendo o único país da CPLP que até ao momento a ratificou), e que em parte pelo eficaz resultado e colaboração de Portugal no processo de salvaguarda deste valioso Património Cultural comum a Portugal e a Namíbia, e de toda a Humanidade, promoveu a ratificação da Convenção pela Namíbia em 2011".

O barco que não chegou à Índia

O local onde o navio português foi encontrado, em Oranjemund, no deserto da Namíbia, era designado pelos marinheiros portugueses e espanhóis como "As portas do Inferno". O navio afundou-se quando navegava em direção à Índia.

Em 2008 foram encontrados os primeiros objetos que levaram à descoberta do navio, localizado bem perto de uma mina de diamantes. O resgate do tesouro só foi possível pelo trabalho de engenharia que envolve a criação de uma lagoa artificial, cuja água é depois bombeada para que se consiga trabalhar na mina. Foi por causa desse trabalho de drenagem que o navio foi encontrado, e o tesouro resgatado.

A equipa, que reuniu arqueólogos e geólogos, conseguiu aceder ao "Bom Jesus", carregado com moedas e lingotes de ouro, estanho e presas de marfim quando se afundou.

A estação televisiva explica que o navio pertenceu ao Rei de Portugal e que nestes casos os bens deveriam ficar na posse do país de origem, mas que no entanto o Governo português terá renunciado a esse direito, e ao tesouro.

De acordo com a equipa científica que acompanhou o resgate do tesouro, o navio ter-se-á afundado devido às difíceis condições de navegabilidade do local, onde são frequentes tempestades e forte nevoeiro.

O navio desapareceu em 1533 depois de ter partido de Lisboa.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM