Índia

Jovem indiana cortou pénis a religioso quando a tentou violar

Jovem indiana cortou pénis a religioso quando a tentou violar

Uma rapariga indiana de 23 anos cortou o pénis a um religioso hindu no estado de Kerala, alegando ter sido vítima de violação durante anos.

O homem, identificado como Gangeshananda Theerthapada, deslocava-se com frequência a casa da família da jovem para realizar rituais religiosos de oração pela saúde do pai. A mãe acreditada que a intervenção daquele homem, considerado sagrado, aliviaria os problemas da família.

No entanto, a jovem denunciou ter sido vítima de abusos sexuais por parte do religioso nos últimos seis anos.

Na noite de sexta-feira, a rapariga pegou numa faca e atacou o homem quando ele terá tentado mais uma vez violá-la. Foi a própria jovem que chamou as autoridades.

O alegado agressor foi transferido de urgência para uma unidade hospitalar e submetido a uma cirurgia de emergência.

"Um homem de 54 anos de Kollam foi admitido as 12.39 horas (20.09 horas em Portugal continental). O seu pénis foi cortado (90%) e estava precariamente unido ao corpo. Não havia maneira de ser recuperado", indicou o hospital em comunicado, citado pela BBC.

"Cirurgiões plásticos especialistas em urologia realizaram a cirurgia de emergência para estancar a hemorragia e permitir que consiga urinar", lê-se na nota informativa.

O responsável da polícia local, Arul B Krishna, indicou ao "The Times of India" que o pai da jovem estava acamado há vários anos e que a mãe tinha conhecimento dos abusos de que a filha era vítima, pelo que, pode agora ser acusada.

A jovem não deverá ser alvo de qualquer ação judicial.

O governante de Kerala, Pinarayi Vijayan, elogiou a bravura da rapariga. "Foi um ato de coragem, sem qualquer dúvida", afirmou.

A violência sexual contra as mulheres ganhou mediatismo na Índia desde 2012, quando um gangue violou uma estudante de 23 anos num autocarro em Nova Deli, causando-lhe a morte. No início de maio, o Supremo Tribunal indiano confirmou a pena de morte para quatro homens acusados desta violação coletiva.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado